*ONU* TOTALITARISMO EDUCACIONAL

 

Segundo o Jornal Tagesanzeiger , o governo Suíço lançou uma campanha de educação sobre a AIDS que expõe menores [4 a 17 anos de idade] a cenas de sexo explícito dentro do ambiente escolar desde de 2014. Segundo o Jornal os pais de 35 crianças estão recorrendo ao tribunal Administrativo Federal por não concordarem com o conteúdo. O filme produzido pelo ministério de Saúde da Suíça, que se chama “Love Live”, mostra maneiras como se contrai a doença, contudo as imagens mostram casais praticando atos sexuais. Tanto homo quanto heterossexuais aparecem nus na tela.

A Suécia está entre as sociedades mais liberais da Europa, e o mais assustador é que estes institutos destruidores ganham posto de modelo da esquerda mais democrática no mundo (a intervenção estatal na educação dos filhos destes pais contrariados, faz parte de uma democracia ou do totalitarismo?).

Por outro lado, a Suécia não é o único país à assumir esta política astuta de educação sexual totalitária, no poder de destruir crianças com uma devassidão precoce. Impelindo professores à esforçar seus alunos terem boa vontade com a sacanagem. A coordenação deste processo pedagógico é um projeto que está acima de qualquer soberania nacional. O avanço destes conteúdos perversos no espaço social – escolas, igrejas, trabalho, mídia – resulta de uma sistematização internacional (ONU). Todo o consentimento destas medidas de propósito nacional é assinado em reuniões fechadas dentro da “Casa da Ordem Mundial”. Tudo acontece antes de ser divulgado publicamente.

Sendo assim a tarja desta sacanagem na política pública mundial, tecnicamente leva o título de “política internacional do desenvolvimento curricular da educação sexual”. Siga o título e certamente lhe será apresentado esse cenário, uma tropa de comissões, lideranças, organizações não governamentais com soberania nacional. Um Super-governo Global desenhando o futuro do sistema educacional no que tange esta dimensão: formação humana sexual e reprodutiva.

ONU – UNESCO – UNICEF

Estas instituições atuam dentro dos governos existentes, com direitos individuais, gente que não foi eleita pelo povo democraticamente, mas está no poder! Um efetivo de sociedades internacionais cujo capacidade política fala mais alto do que todos os Estados. Em nome da “preocupação” e da “necessidade” da saúde sexual e reprodutiva de nossas crianças e, jovens, sequestram o direito dos Pais de educar seus filhos de acordo com sua própria consciência, ou tradição, para impor uma homogeneização da opinião sexual.

A UNESCO foi criada pela ONU com o objetivo expresso de destruir o sistema educativo privado. A sociedade ideal que eles esperam alcançar no futuro é aquela que os filhos são separados das famílias e educados pelo Estado pederasta, em centros que eles podem promover cidadania homossexual. O Estado até paga uma quantia estipulada para os pais deixarem os filhos à mercê dos meios de comunicação do mundo (imprensa mundial).

Esta legião de engenheiros sociais do comportamento humano (escolas, sindicatos, professores, educadores), especializados em ensinar atividade homossexual para vulneráveis, estão certos de que são invisíveis, por que conseguiram baixar o coeficiente intelectual da população. Por meio deste processo de normalização de perversidades, o que chamam de “fundamental” aqui no Brasil, forma-se nova geração feita de sodomitas e ateus dentro da visão positiva da liberdade (aberração). A vantagem de se vender demagogias é que a sociedade está desmoralizada demais para perceber que está sendo explorada e dominada!

O processo da desmoralização divulgada pela ONU no formato de “currículo sexual” é feito com características multidisciplinares cujo objetivo é programar, adaptar e avançar seu público-alvo para um território de perversidades onde o retorno é irreversível. Dentro de pouco tempo, a desordem moral que testemunhamos aqui no Brasil, resultado destes tópicos de aprendizagem de gênero e sexualidade, virá de toda parte do mundo, no mais alto grau da barbárie. De modo que o justo, o bom e o normal se transforme num fator de discórdia para a suposta igualdade de gêneros!

A garantia do direito internacional é transformar todo tipo de corrupção numa máquina de governabilidades para o anticristo. A subversão é um caminho para o Estado totalitário mundial que está previsto nas Escrituras Sagradas. Enquanto divertem suas vítimas com o liberalismo, tiram vantagens e faturam em cima de todos eles! É a verdade da Suíça, do Brasil, como de todo o mundo globalizado. Quanto mais contaminados pela infecção das idéias imorais, mamais fica fácil burlar a capacidade de seus julgamentos morais.

E logo virá os apelos sentimentalistas, seja pela instrumentalização do poder de um novo regime, da aprovação de novas leis que dêem privilégio a militância globalista, até que se chegue ao objetivo final que é a submissão absoluta da população. Acaba que o anticristo será uma solução patológica a uma vida insegura, automatizada e desmoralizada (AP.13,17,18).

Aqui reside a fé daqueles que não se dobraram ao pecado deste mundo, por que aguardam a promessa do Reino perfeito, justo e cheio de Paz, que está em Jesus Cristo, e será manifesto na sua vinda gloriosa!

Maranata, Jesus está voltado!

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para *ONU* TOTALITARISMO EDUCACIONAL

  1. Mara disse:

    Está cada vez pior….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s